A história real de uma perseguição amorosa

Lançamento da nVersos traz ambiguidades sobre uma história inusitada

Stalking – A história real de uma perseguição amorosa surgiu quando o escritor Flávio Braga reencontrou um velho amigo e ouviu dele a narrativa sobre seus últimos anos. Os fatos eram tão impactantes que Flávio decidiu registrá-losem livro.  A técnica escolhida foi a de “romance de não-ficção”, como Truman Capote chamou o seu A Sangue Frio (In Cold Blood).

“Os fatos por si só são tão patéticos que não se fez necessário usar a imaginação” é como o autor define o texto, logo na introdução do livro. O resultado foi uma obra intrigante, envolvente e que traz sensualidade e perseguição.

Para não deixar dúvidas, Flávio define logo na introdução o que significa Stalking: “Espreitar furtiva e persecutoriamente, como se faz com a caça”. O termo surgiu nos EUA em 1999, para nomear um novo enquadramento criminal e vem sendo discutido por psiquiatras, psicólogos e juristas.

Por isto, stalker é aquele que persegue a uma determinada pessoa sem se preocupar com limites, vontades ou opiniões. Segundo o psicólogo especializado em medicina legal, J. Reid Meloy, stalking é um comportamento anômalo e extravagante, causado por vários distúrbios psicológicos, nutridos por mecanismos inconscientes, podendo ser classificado como “patologia do apego”.

O livro é narrado pelo personagem Eduardo, um arquiteto, solitário, carente e bastante passivo, que aos 40 anos se encontra em uma derrocada financeira, vivendo com os pais. Edu “Sonhava com namoradas jovens e farras, mas isso se reduzia, na verdade, à vodca nas barracas de praia e aos olhares libidinosos para as meninas”. Até conhecer e se apaixonar pela jovem Aline, de 16 anos, que é filha de uma antiga colega de faculdade chamada Tânia.

Disposto a tudo para unir-se a sua amada, Edu convida a mãe da jovem para falar sobre suas intenções, mas as coisas saem de seu controle e ele acaba se envolvendo com a futura “sogra”.  “Em um momento digno de raposa sob as uvas verdes, cheguei a considerar Tânia uma amante superior e com menos risco de me jogar um filho nos braços”, descreve o personagem.

A partir daí, o livro caminha para planos frustrados; ideias absurdas que Edu busca para fazer Tânia desistir dele. Entre as idas a clubes de swing, relacionamentos liberais, traições, encontram-se situações inusitadas. Fica para o leitor analisar: afinal, até que ponto Tânia era a “louca” da história e a partir de qual momento as atitudes de Edu alimentaram (ou até incentivaram) tal perseguição?!

Sobre o autor:
Flávio Braga, autor de romances, ensaios, textos teatrais e roteiros de cinema, também atua como jornalista e editor. Possui 18 livros publicados. Nasceu em São Paulo e vive no Rio de Janeiro há 30 anos.

Ficha Técnica:
Editora: nVersos
Formato:
15 x 21 cm
Páginas: 152 páginas
ISBN: 978-85-64013-63-6

Mais sobre a editora nVersos:
Facebook: http://www.facebook.com/nVersosEditora?fref=ts
Site: http://nversos.com.br/

Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s