Não esqueça dos livros nas férias!

Depois de dormir até tarde por vários dias, a sensação do ‘sem nada para fazer’ chega. Então a dica é: toda hora é hora de ler

12308668_1081051035268354_571338852282009357_n

Ok, ok. Chegaram as férias e os estudantes só querem descansar. Hoje, amanhã e depois… E depois? Nada para fazer? É sempre a mesma história. Então, por mais chato que pareça, a leitura é uma ferramenta incrível para se passar o tempo, sem cansar e aprender (mesmo fora da escola).

Serão quase três meses para curtir a família, amigos e festas, por que esquecer os livros? Se for viajar, leve um exemplar que queria ler durante todo o ano e não conseguiu, por exemplo. Se for ficar em casa, mas não tem nada para ler, vá até a biblioteca pública ou cidadã, que provavelmente irá achar algo que lhe interesse.

Até mesmo passar horas folheando uma enciclopédia pesadíssima é legal. Poder perceber as diferenças na ortografia, a mudança nas definições geográficas de alguns países (alguns até nem existem mais). Ou então procurar aqueles títulos de lendas brasileiras e saber mais das várias culturas que temos.

As opções são muitas, basta ir atrás de novos mundos em meio as linhas escritas. Para dar uma ajuda, escolhemos alguns livros (lançamentos e mais vendidos) como sugestão de inspiração na largada da leitura das férias.

12360402_1082815268425264_308368733204426384_n

Cinema e Psicanálise Vol. 1 – A Criação do Desejo

Cinema é diversão!
E foi assim, como ficção, que este engenho se tornou o grande produtor de imagens da história moderna. Se alguém tem dúvida sobre a importância atual do cinema, basta lembrar que, para os americanos, ele é tratado como assunto de segurança nacional, talvez atendendo a advertência de Paul Virilio, de que deveria ser tratado e pensado como “arma de guerra”.
A multiplicidade de imagens, a sensação onipresente de estar sendo observado por uma câmera, que trans – formou o mundo em um imenso Big Brother (expressão que não precisa mais de tradução ou nota de rodapé), e, especialmente, o modo de construir um lugar para o espectador, persiste também nos videogames e nas novas mídias, que utilizam técnicas e ideias desenvolvidas no cinema.
Mas o cinema, como produtor de ficção, por essas coincidências que nunca acontecem, nasceu junto com a psicanálise no final do século XIX, também tão poderosa que precisou ser proibida ou controlada em muitas épocas, dado o seu poder subversivo de modificar as ficções simbólicas que regem a dita realidade. Esta outra “arma” se incumbiu também de construir um novo lugar, de onde as pessoas poderiam olhar as coisas.

77 Páginas Para Morrer

Uma pistola pendurada em um fio telefônico. Referências aos cartazes de clássicos filmes de suspense, como as fitas de Hitchcock. O romance-policial, escrito pelo paulistano Marcelo Almeida, convida o leitor a ser participante ativo da história e o coloca na narrativa de maneira interativa.
“O objetivo é criar uma história com elementos retirados de um livro importante da nossa literatura, de forma que o leitor possa dialogar com ambos os textos. A leitura desse livro não é um fim, mas um meio onde, com o apoio de recursos interativos e de imagem e som, leva-se o leitor a estabelecer ligações e comparações com determinada obra clássica, estimulando-o de forma proposital a comparar ambas.”, explica o autor.
O livro é narrado em primeira pessoa e conversa com quem está lendo em diversos momentos. Durante a investigação, o leitor é apresentado a todos os personagens do livro pelo próprio protagonista da história como seu assistente.
Desde o início o projeto já surgiu com a ideia de utilizar um livro para instigar o leitor a procurar uma obra clássica. Para atrair principalmente os jovens, a editora e o autor se dedicaram em criar uma forma de interatividade e integração das plataformas off-line com tecnologias online que atraem esses leitores ainda em formação.

O Cérebro da Criança

O Cérebro da Criança, número 1 em vendas na Amazon e best-seller do New York Times, lançado pela nVersos Editora.
O neuropsiquiatra Daniel J. Siegel e a psicoterapeuta Tina PayneBryson criaram um livro magistral direcionado a pais e educadores para ajudar as crianças no processo de amadurecimento de sua inteligência emocional.
Um método brilhante que transforma as interações cotidianas em momentos valiosos. O “cérebro do andar de cima”, que toma decisões e equilibra as emoções, continua em construção até os vinte e poucos anos de idade. E, especialmente em crianças pequenas, o cérebro direito e suas emoções tendem a ser dominantes sobre a lógica do cérebro esquerdo. Não é de admirar que as crianças possam parecer – e se sentir – tão fora de controle.
Ao aplicar essas descobertas ao cotidiano da criação das crianças, pais e educadores poderão transformar qualquer explosão, discussão ou medo, em uma oportunidade de integrar o cérebro da criança e promover crescimento vital.
Repleto de explicações claras, estratégias adequadas a cada idade para lidar com as dificuldades do dia a dia e ilustrações que ajudarão a explicar os conceitos às crianças, o livro mostra como cultivar desenvolvimento emocional e intelectual saudável para que elas possam levar vidas equilibradas, significativas e conectadas.

GÊNERO: Uma Perspectiva Global

Como podemos compreender o gênero no mundo contemporâneo? Que diferenças psicológicas existem hoje entre mulheres e homens? Como as masculinidades e feminilidades são produzidas? E qual a relação entre as questões de gênero e preocupações globalizadas como a mudança ambiental e a reestruturação econômica?
Raewyn Connell, uma das acadêmicas mais importantes do mundo nesse campo, aqui se junta com Rebecca Pearse para responder essas e outras questões. O livro oferece uma introdução acessível aos estudos modernos de gênero, cobrindo pesquisas empíricas de todas as partes do mundo, além de teoria e política. Assim como introduz o campo, as autoras fornecem um poderoso arcabouço contemporâneo para a análise do tema, com atenção especial forte às questões globais, destacando o caráter multidimensional das relações, as pontes entre a vida pessoal a estruturas organizacionais de larga escala, e apontam como as políticas de gênero se transformam em situações de mudança. Gênero é uma produção acadêmica engajada que se move da experiência pessoal em direção a problemas globais, oferecendo uma perspectiva única sobre as questões de gênero da atualidade.

Fonte: http://goo.gl/Yha7AT

 

 

Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s